Agência ABEAR
Informações oficiais do setor aéreo; conteúdo pode ser reproduzido livremente pela mídia, mediante crédito para a fonte.

Aviação registra quase 300 alertas sobre balões próximos a aeroportos

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) registrou 295 notificações sobre avistamentos de balões próximos a aeronaves e aeroportos nos primeiros seis meses de 2017, um aumento de 33% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ocorreram 221 registros. Os estados com maior incidência foram São Paulo, que acumulou 152 alertas, seguido do Rio de Janeiro, com 99. As entidades do setor têm ampliado cada vez mais a troca de informações e atuação conjunta para evitar que estes números continuem a subir.

Os balões não tripulados, também conhecidos como balões juninos, podem chegar a pesar dezenas de quilos e carregar materiais perigosos (inflamáveis e explosivos). Apesar disso, não são detectados por radares, dificultando a identificação por pilotos e controladores de voo. Assim, eles geram riscos que envolvem desde a colisão com aeronaves até a necessidade da realização de manobras abruptas não programadas, como um desvio para evitar o impacto, pousos de precaução e arremetidas, que podem causar desconforto aos passageiros e atrasos em voo.

“Quando um balão se aproxima de um aeroporto, mesmo sem cair na pista, ele pode ocasionar a interrupção de pousos e decolagens e impactar a malha aérea nacional, afetando horários de voos em outras localidades, acarretando em atrasos e custos financeiros para as empresas aéreas e aeroportos”, esclarece o consultor da Diretoria de Segurança e Operações de Voo da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), Paulo Roberto Alonso. O comandante acrescenta que a maior ameaça é à segurança das aeronaves e seus passageiros: o impacto de um artefato com uma aeronave pode causar danos à fuselagem, turbinas, ou hélices – e até interferir no funcionamento de sistemas de indicação de velocidade e altitude do avião.

Como ajudar?

Ações suspeitas relacionadas à soltura de balões devem ser comunicadas à Polícia (190) ou ao Disque-Denúncia (181). Além disso, qualquer cidadão que tenha avistado balões no espaço aéreo, especialmente em áreas próximas aos aeroportos, pode fazer o registro da ocorrência no portal do Cenipa.

Notícias Relacionadas

A ABEAR foi criada em 2012 pelas companhias AVIANCA, AZUL, GOL, TAM (hoje LATAM) e TRIP, com a missão de estimular o hábito de voar no Brasil. A entidade tem ainda mais seis associadas: Boeing, Bombardier, LATAM Cargo, MAP, Passaredo e TAP. Saiba mais
  • Av. Ibirapuera, 2332 - Conj. 22 - Torre Ibirapuera I
    Moema | 04028-002 | São Paulo | SP
    + 55 11 2369-6007
  • Av. Marechal Câmara, 160, Ed. Orly, 8º andar - sl. 832 |
    Centro | 20020-080 | Rio de Janeiro | RJ
    + 55 21 2532-6126
  • SAUS Quadra 1 - Bloco J , 10/20 - Edifício CNT - Sala 506
    70070-944 | Brasília | DF
    + 55 61 3225-5215