Agência ABEAR
Informações oficiais do setor aéreo; conteúdo pode ser reproduzido livremente pela mídia, mediante crédito para a fonte.

Transporte de órgãos no país aumenta 136% em um ano

O esforço conjunto de cooperação entre o setor aéreo e o Ministério da Saúde fez mais do que dobrar o volume de voos para o transporte de órgãos e tecidos para transplante em 2013. Após registar 2.568 voos em 2012, as empresas aéreas elevaram o volume para 6.064 no ano passado. Destes voos, 73% foram realizados pelas companhias que integram a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear): Avianca, Azul, Gol e TAM.

Em 2013, incluindo a via terrestre, foram transportados 6.995 órgãos e tecidos no país. As quatro associadas da Abear estão associadas ao deslocamento de 6.702 deles, ou 95% do total. Apenas em dezembro do ano passado, estas empresas foram responsáveis por 592 do total de 626 transportados.

Desde a última década, o volume de transporte aéreo de órgãos, tecidos e equipes médicas para a realização de transplantes só tem aumentado – segundo o Ministério da Saúde, em 2000 eram apenas 67 voos anuais nas companhias brasileiras. Para Eduardo Sanovicz, presidente da Abear, essa evolução é resultado dos investimentos em capacitação, tecnologia e do trabalho em conjunto entre o setor aéreo e os órgãos de saúde. “A operação exige uma logística complexa e o desafio da aviação é viabilizá-la em média de quatro horas, que é o tempo de vida útil do órgão nas melhores condições de transporte”, afirma Sanovicz.

De acordo com o Ministério da Saúde, vários Estados, principalmente da região Norte do país, dependem da logística aérea para poder realizar transplantes em locais remotos, em um processo que mobiliza hospitais, aeroportos e companhias aéreas.  Atualmente, dos 2,7 mil voos domésticos realizados diariamente, 35 levam órgãos de transplante. “As companhias aéreas já estão preparadas para a operação. O impacto gerado na priorização de embarque, tanto dos órgãos quanto das equipes de transplantes, não vai interferir nos voos”, afirma Sanovicz.

A tendência é que o número mantenha o crescimento para os próximos anos. Em novembro do ano passado, a ABEAR, a Secretaria de Aviação Civil (SAC) e a Força Aérea Brasileira (FAB) firmaram acordo de cooperação com o Ministério da Saúde para a criação de vagas específicas nos voos visando ao transporte de órgãos e de equipes médicas.

A expectativa é reduzir o tempo de viagem e elevar o volume transportado de material, como órgãos sólidos, tecidos e também de hemoderivados (medicamentos obtidos a partir do sangue). O acordo prevê prioridade nos pousos e decolagens para aeronaves que transportarem equipes e material de transplante.

Notícias Relacionadas

A ABEAR foi criada em 2012 pelas companhias AVIANCA, AZUL, GOL, TAM (hoje LATAM) e TRIP, com a missão de estimular o hábito de voar no Brasil. A entidade tem ainda mais seis associadas: Boeing, Bombardier, LATAM Cargo, MAP, Passaredo e TAP. Saiba mais
  • Av. Ibirapuera, 2332 - Conj. 22 - Torre Ibirapuera I
    Moema | 04028-002 | São Paulo | SP
    + 55 11 2369-6007
  • Av. Marechal Câmara, 160, Ed. Orly, 8º andar - sl. 832 |
    Centro | 20020-080 | Rio de Janeiro | RJ
    + 55 21 2532-6126
  • SAUS Quadra 1 - Bloco J , 10/20 - Edifício CNT - Sala 506
    70070-944 | Brasília | DF
    + 55 61 3225-5215